Make your own free website on Tripod.com

MENSAGENS FINAIS

QUEM SOMOS NISTO CREMOS ESTUDOS JUDICIAIS CARTAS

Loucuras da Sabedoria Humana

Parte IX

Se o Espírito de Deus é uma Pessoa,
o Espírito de Cristo Deve Ser Outra...

Recentemente, estive dando uma recordada em minhas lições da Escola Sabatina já estudadas, quando me deparei com a lição de 1999, Terceiro Trimestre – Título: Criados por Deus – Edição de Professor, na qual é feito o seguinte comentário, logo na primeira lição “Deus o Criador”, pág. 6:

“Os três membros da divindade (Pai, Filho e Espírito Santo) trabalharam juntos para criar o Universo. Embora mantenha individualidade distinta, cada membro da Divindade cumpriu sua parte em perfeita harmonia com os Outros. Ao criar o cosmos e o mundo, o Pai em Cristo (Col. 1:13-19). Jesus é a expressa imagem do Pai (Heb. 1:1-3), revelando assim que Deus é um Ser pessoal, não uma força abstrata de inteligência impassível, fria, rígida e insensível. O Espírito de Deus, o terceiro membro da Divindade, também participou ativamente na Criação (Gên. 1:2). Embora cada Pessoa tivesse papéis distintos para cumprir, as três possuem em comum os atributos da divindade. Além de possuírem as mesmas qualidades de caráter, e infinito poder para criar e suster o Universo, elas são coeternas, preexistindo a todas as origens (Isa. 48:16 e 17; João 1:1-4). Isso está além da compreensão humana, mas Deus Se revelou assim (ver Evangelismo, págs. 615-617).

O que desejo considerar aqui, é o absurdo proposto por esta lição, ao afirmar que o Espírito DE Deus seja um SER separado (distinto) do Pai. 

Se os autores trinitarianos desta lição estiverem corretos, então, mesmo assim a Trindade não existe, é uma fábula, uma fantasia, um conto de fadas, “história pra boi dormir”. É exatamente isso que procurarei provar a seguir.

Consideremos a primeira frase que grifei do comentário da lição 1: “Jesus é a expressa imagem do Pai (Heb. 1:1-3)”.

Este pensamento é confirmado pelos seguintes textos:

II Cor. 4:4: “Nos quais o deus deste século cegou o entendimento dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus”.

Col. 1:15: “Este [Jesus] é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação”.

Heb. 1:3: “Ele,[Jesus] que é o resplendor da glória e a expressão exata do seu [de Deus] Ser, sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, depois de ter feito a purificação dos pecados, assentou-se à direita da Majestade, nas alturas”.

Diante disso, podemos afirmar que Jesus Cristo é a imagem exata de Deus. Logo, se o Espírito de Deus é um outro ser (pessoa) separado de Deus, então, o Espírito de Cristo obrigatoriamente tem que ser um outro ser separado dele.

Teríamos, portanto:

1. Deus (pessoa)

2. Espírito de Deus (Espírito Santo) (pessoa)

3. Jesus (pessoa)

4. Espírito de Cristo (pessoa)

Deste modo, seria desfeita a Trindade, a partir daí “tetrandade”. Teriam que arranjar mais um trono invisível para a quarta divindade assentar-se. Veja a terrível confusão que permanece se este entendimento (O Espírito de Deus como um outro ser) fosse aceito:

a) Romanos 8:9: “Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se, de fato, o Espírito de Deus habita em vós. E, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele”.

Gálatas 4:6:“E, porque vós sois filhos, enviou Deus ao nosso coração o Espírito de seu Filho, que clama: Aba, Pai!”

b) Efésios 3:17: “E, assim, habite Cristo no vosso coração, pela fé, estando vós arraigados e alicerçados em amor”.

c) 2 Coríntios 6:16: “Que ligação há entre o santuário de Deus e os ídolos? Porque nós somos santuário do Deus vivente, como ele próprio disse: Habitarei e andarei entre eles; serei o seu Deus, e eles serão o meu povo”.

Então, estariam habitando em nós 4 pessoas:

1. O Espírito de Deus (Romanos 8:9)

2. O Espírito de Cristo (Romanos 8:9, Gálatas 4:6)

3. Cristo (Efésios 3:17)

4. Deus (II Cor. 6:16)

Que coisa mais sem sentido! Como o próprio comentário da lição afirmou, “isto está além da compreensão humana”. Na verdade, isto é uma loucura!

A doutrina da imortalidade da alma divide o homem em dois, tornando seu espírito um outro ser independente. E a doutrina da Trindade dividiu Deus em dois seres! Não é preciso ser teólogo para descobrir que esta doutrina está mais para estória da carochinha do que para verdade divina.

Estejamos atentos aos disparates daqueles que andam “falsificando a palavra de Deus” (II Coríntios 4:2). Infelizmente muitos “se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se às fábulas”. (II Tim. 4:4). Está Escrito:

“E, por isso, Deus lhes enviará a operação do erro, para que creiam a mentira, para que sejam julgados todos os que não creram a verdade; antes, tiveram prazer na iniqüidade” II Tess. 2:11, 12.

Deus abra os nossos olhos para que não sejamos enganados! -- Marcelo Gomes – Codó-MA

  IR

RETORNAR